Rio, para sempre lindo!

Apaixonada pelo Rio de Janeiro, meu primeiro post não podia ser outro! Desde criança, fico encantada com as fotos nas revistas e cenas aéreas exibidas na TV. E, desde então, sempre digo: um dia vou morar lá! Isso ainda não aconteceu, mas continuo dizendo essa frase até hoje. Mas, sabe aquele conforto e bem estar de quando você chega na casa de sua mãe e desiste de tudo? Então, sofro dele… Mas, sempre que posso, dou uma passada por lá para ver, com meus próprios olhos, que ele ainda continua lindo! Enfim, vamos deixar esse papo de lado e ir ao que interessa.

Uma das minhas últimas passadas por lá foi para correr a Meia Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro, que, diga-se de passagem, duvido que tenha percurso mais lindo que esse!

Percurso-provas-2013 Percurso da Meia Maratona

Passamos pelas mais lindas e conhecidas praias da cidade, ou seja, um resumão do Rio aos nossos pés! Para ter uma ideia, o trajeto começa em minha praia carioca favorita, o Pepê, na Barra da Tijuca. A praia tem esse nome em homenagem ao campeão mundial de asa delta, Pepê. Não sei se por esse motivo, ali é o point favorito de praticantes de esportes radicais, mas que, ao invés do céu, escolheram o mar. Kitesurf, windsurf e todos os outros ‘surfs’ pode-se assistir lá. E é também onde se encontra o quiosque do Pepê, que tem os melhores sanduíches naturais da região, sem contar com o açaí delicioso! Mas a Barra não se resume à praia do Pepê. Andando em direção ao Recreio, nos perdemos em meio a muita gente bonita, prédios altos, areia branca e um mar convidativo! Então, com este cenário, já começamos a prova bem, vendo o dia amanhecer de um lugar tão lindo, à beira mar, com todo mundo na mesma sintonia: saúde, conquista, superação!

DSCN1849 Praia do Pepê

Foi dada a largada e partimos sentido às praias da zona sul. Passamos pelo túnel do Joá e pelo elevado das Bandeiras (delííícia passar por ali correndo!) e chegamos à praia de São Conrado, onde nunca fui para pegar sol… somente havia pisado lá ao aterrissar do meu voo de asa delta (depois conto a experiência por aqui).

Saindo de lá, veio minha parte favorita da corrida: a avenida Niemeyer, aquela à beira-mar, que chega ao Leblon. A vista é maravilhosa e foi preciso me concentrar na corrida, porque a vontade que dá é de parar ali e ficar admirando o mar sem fim! E de um lugar onde passar a pé é, praticamente, impossível, pois o movimento de carros é grande e não há calçada em toda a avenida.

Mais um pouquinho de chão, chegamos ao Leblon. Corremos por toda a Delfim Moreira, cercada por prédios que ocupam o metro quadrado mais caro da cidade e pelo mar, e, seguindo, passamos por toda a extensão da Vieira Souto, em Ipanema – continuidade da badalação do Leblon, ou vice-versa!

DSCN9972 Orla de Ipanema

E logo começo a me lembrar de como é bom caminhar pelas ruas desses bairros! Lojas, bares, restaurantes, gente bonita! Isso sem contar com o posto mais famoso do Rio de Janeiro: o ‘poxxxto 9’. Com uma vista maravilhosa, fica repleto de gente o dia inteiro, principalmente de gringos, que querem conhecer bem mais do que a combinação biscoito Globo + mate, patrimônio cultural do Rio de ‘Xaneiro’!

IMG_2318 Combinação perfeita

Depois, já com o cansaço começando a dar sinais de vida, caímos em Copacabana, princesinha do mar, que dispensa comentários, mas que, mesmo assim, vou comentar! Automaticamente, o ânimo volta com força total! Copa, copa… és a praia mais linda que tem. A orla me encanta sempre que vou lá. É como se todas fossem a primeira vez. Tanto é que precisei interromper a corrida minha e da minha irmã para registrar minha passagem por ali. Mas nada que atrapalhasse nosso desempenho!

IMG_1526 A paradinha pra foto

No trajeto, quiosques, prédios típicos de Copa grudadinhos uns aos outros, calçadão com desenho de ondas e turistas, turistas e mais turistas. De longe, avistamos o Pão de Açúcar; por entre um prédio e outro, vemos o Cristo Redentor com seus braços sempre abertos.

1 Praia de Copacabana

E continuamos… Antes de chegarmos ao Leme, pegamos a avenida Princesa Isabel, passamos pelo túnel do Rio Sul e chegamos à praia de Botafogo, de onde se pode ver, agora de perto, os morros da Urca e do Pão de Açúcar, belo cartão postal dessa cidade, que é toda, por si só, um cartão postal gigante.

Nessa altura do campeonato, a força não está mais nas pernas e, sim, na mente. Já se passaram 19 quilômetros e cinco praias. Então, força na peruca. “Run, Angel, run. Você está prestes a realizar um sonho, na cidade dos seus sonhos”, dizia a mim mesma, imaginando, ao fundo, a música Chariots of Fire!

M_CAIXA_RJ_2012-LEO-_MG_1951-18136-HIGH Quase lá!

Mais dois quilômetros de chão e belo cenário e pronto… Cheguei ao aterro do Flamengo, final da Meia Maratona e do meu running tour. A chegada é incrível e, como se não bastasse correr 21 km, ainda demos uma voltinha pelo aterro, apreciando a bela vista e curtindo um pouquinho mais os deliciosos momentos na cidade maravilhosa!

DSCN1642 Vista da praia do Flamengo

Bom, se correr não é seu forte, não tem problema! Faça o trajeto um pouquinho a cada dia caminhando, ou vá de carro, de ônibus, de metrô, de táxi. O negócio é ir. O Rio sempre nos recebe de braços abertos!

Dicas-Reveillon-Rio-de-Janeiro

Tiradentes, real ou cenográfica?

Essa é a pergunta que sempre faço a mim mesma quando visito Tiradentes, uma das cidades históricas de Minas Gerais. É tudo tão lindo que parece mais uma cidade cenográfica, construída para rodar um filme de época. Passear por lá, me dá a sensação de que voltei no tempo, e mais, traz uma tranquilidade enorme. Parece que o mundo se resume àquilo ali: nada de trânsito (desde que não seja alta temporada, quando o Largo das Forras fica bem movimentado), passeios a pé ou à charrete, crianças correndo pelas praças, mesas nas calçadas, belezas naturais e sem contar com os diversos restaurantes que, é claro, mostram ao mundo o que Minas tem de melhor: a culinária. E adoro ainda mais, porque é bem pertinho de BH, a 197 quilômetros, ou seja, em 2h de carro estamos lá! (Há quem ache que 2h de carro é longe! Mas já sabem como é o ‘pertinho’ de mineiro, né?? Até 4h de viagem ‘tô’ achando ótimo)!!!

DSCN9337

Mas algo que me chama bastante atenção na cidade é a preservação do centro histórico. As características das construções barrocas estão todas lá, marcadas pelo tempo, mas sempre bem cuidadas. Em Minas, temos muitas cidades históricas lindas, que ainda vou falar por aqui, mas nenhuma delas é tão preservada quanto Tiradentes. Talvez por ser a menor de todas e não ter vivenciado um crescimento tão desenfreado como Ouro Preto, São João Del Rey e Diamantina.

IMG_2225

Independente disso, ela tem um ‘quê’ a mais, que atrai famílias, jovens e, principalmente, casais em busca de um final de semana bem tranquilo. E esse ‘quê’ é o quanto ela é aconchegante! Tanto a cidade em si, quanto os hoteis e pousadas! Falando nisso, para hospedagem, há uma quantidade enorme de opções. Tem aquelas mais requintadas, como a Pequena Tiradentes, e outras também aconchegantes, mas com preços mais convidativos, como a Coração Inconfidente e Trem do Imperador, em que os quartos são vagões de trem. Uma hospedagem, no mínimo, curiosa. No site da Secretaria de Turismo de Tiradentes, você pode encontrar diversas outras opções.

A ultra-aconchegante Tiradentes tem clima agradável e é emoldurada pela bela Serra de São José. Em um dia de visita é possível conhecer os principais pontos turísticos, todos localizados bem próximos um ao outro, como a Câmara Municipala Cadeia Públicaa Casa de Cultura e o Chafariz São José. Isso sem contar com as várias igrejas espalhadas por todo lado. No entanto, para mim, não há nenhuma tão bela quanto a Matriz de Santo Antônio, projetada por Aleijadinho, decorada com uma grande quantidade de ouro e que abriga um órgão português do século XVII, um dos mais valiosos do mundo. Lindíssima!!

IMG_2229 Matriz de Santo Antônio

Outro atrativo de Tiradentes é o artesanato típico de Minas! Impossível sair de lá sem uma das adoráveis peças decorativas! Namoradeiras, jarros e flores, móveis antigos, e mais uma infinidade de objetos em barro, cerâmica, ferro, tear, todos feitos por artesãos locais e moradores das cidadezinhas ao redor, como Bichinho (vale a visita, pois os preços lá são bem mais atrativos e o lugarejo é lindo), Prados, Resende Costa e outras.

DSCN9353

Maria Fumaça

E quem nunca ouviu falar da Maria Fumaça, que liga Tiradentes a São João Del Rey? Sem dúvida, o passeio mais concorrido e que encanta a todos! A viagem de volta ao tempo já começa no momento do embarque, na pequena estação, construída em 1981.

IMG_2236

E lá você ainda pode ver a rotunda, mecanismo que inverte a locomotiva na linha férrea, colocando-a à frente dos vagões para fazer o trajeto inverso. Vale a pena assistir!

photo (3)

Os passeios têm horários fixos, tanto para ir quanto para voltar de São João, então, fique atento a eles para tentar fazer os dois percursos de Maria Fumaça. Mas, caso não consiga conciliar, fique tranquilo! Diversos guias turísticos oferecem transporte de volta em vans. Ah, e tente chegar cedo à estação para pegar um lugar na janela! São 35 minutos de paisagens lindas!

IMG_2244

Eventos e mais eventos

Muita gente gosta de evitar viagens na alta temporada. Mas em Tiradentes vale a pena enfrentar a movimentação, pois os eventos lá sediados são incríveis! No começo do ano, em janeiro é realizada a Mostra de Cinema de Tiradentes, que atrai cineastas, estudantes e apreciadores da 7ª arte. A cidade fica lotada e a programação inclui palestras, oficinas e exibição de filmes gratuitas. O carnaval é outra data que atrai turistas do Brasil todo! A festa de rua de Minas Gerais é bem famosa, ainda mais quando se trata de cidades históricas! Já em junho, tem o encontro de motos Bike Fest, evento que mais gosto! Apesar de eu não ter moto, acho, no mínimo, interessante ver o contraste do moderno de do antigo, ao avistar uma Harley Davidson ao lado de uma charrete!

DSCN9324

Homens, mulheres e jovens chegam de várias partes do Brasil pilotando suas motocicletas e as estacionam na praça, repleta de barraquinhas, onde são vendidos acessórios, bebidas e petiscos. As mesas nas calçadas ficam cheias o dia todo e as pessoas se divertem na mesma sintonia.

Agora, aqueles que gostam de culinária-arte, o Festival Internacional de Cultura e Gastronomia, em agosto, atrai pelos aromas (imagino aquele tanto de gente voando, carregados pelos cheiros deliciosos de comida, assim como nos desenhos animados). Chefes se espalham por diversos restaurantes da cidade, fazendo química com os ingredientes, o que resulta em pratos deliciosos!

festival-de-gastronomia-tiradentes

Agora, falando em culinária, queria deixar aqui uma dica de ouro: um prato tipicamente mineiro, mas que muitos mineiros não conhecem! É o frango com ora pro nobis. Para quem não sabe o que é, trata-se de um vegetal, muitas vezes usado como orégano, em forma de folha seca e moída. Mas, no caso desse prato, ele é refogado e acrescentado ao frango ensopado. Para acompanhar, arroz, angu e uma saladinha! Sem comentários!!! O restaurante que indico para experimentar essa delícia em Tiradentes é o Dona Xepa, bem pertinho do Largo das Forras! Quando experimentarem, me contem o que acharam! Tenho certeza de que sairão de lá com a mesma opinião que dei lá em cima: a culinária de Minas é o que há de melhor!