Rio, para sempre lindo!

Apaixonada pelo Rio de Janeiro, meu primeiro post não podia ser outro! Desde criança, fico encantada com as fotos nas revistas e cenas aéreas exibidas na TV. E, desde então, sempre digo: um dia vou morar lá! Isso ainda não aconteceu, mas continuo dizendo essa frase até hoje. Mas, sabe aquele conforto e bem estar de quando você chega na casa de sua mãe e desiste de tudo? Então, sofro dele… Mas, sempre que posso, dou uma passada por lá para ver, com meus próprios olhos, que ele ainda continua lindo! Enfim, vamos deixar esse papo de lado e ir ao que interessa.

Uma das minhas últimas passadas por lá foi para correr a Meia Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro, que, diga-se de passagem, duvido que tenha percurso mais lindo que esse!

Percurso-provas-2013 Percurso da Meia Maratona

Passamos pelas mais lindas e conhecidas praias da cidade, ou seja, um resumão do Rio aos nossos pés! Para ter uma ideia, o trajeto começa em minha praia carioca favorita, o Pepê, na Barra da Tijuca. A praia tem esse nome em homenagem ao campeão mundial de asa delta, Pepê. Não sei se por esse motivo, ali é o point favorito de praticantes de esportes radicais, mas que, ao invés do céu, escolheram o mar. Kitesurf, windsurf e todos os outros ‘surfs’ pode-se assistir lá. E é também onde se encontra o quiosque do Pepê, que tem os melhores sanduíches naturais da região, sem contar com o açaí delicioso! Mas a Barra não se resume à praia do Pepê. Andando em direção ao Recreio, nos perdemos em meio a muita gente bonita, prédios altos, areia branca e um mar convidativo! Então, com este cenário, já começamos a prova bem, vendo o dia amanhecer de um lugar tão lindo, à beira mar, com todo mundo na mesma sintonia: saúde, conquista, superação!

DSCN1849 Praia do Pepê

Foi dada a largada e partimos sentido às praias da zona sul. Passamos pelo túnel do Joá e pelo elevado das Bandeiras (delííícia passar por ali correndo!) e chegamos à praia de São Conrado, onde nunca fui para pegar sol… somente havia pisado lá ao aterrissar do meu voo de asa delta (depois conto a experiência por aqui).

Saindo de lá, veio minha parte favorita da corrida: a avenida Niemeyer, aquela à beira-mar, que chega ao Leblon. A vista é maravilhosa e foi preciso me concentrar na corrida, porque a vontade que dá é de parar ali e ficar admirando o mar sem fim! E de um lugar onde passar a pé é, praticamente, impossível, pois o movimento de carros é grande e não há calçada em toda a avenida.

Mais um pouquinho de chão, chegamos ao Leblon. Corremos por toda a Delfim Moreira, cercada por prédios que ocupam o metro quadrado mais caro da cidade e pelo mar, e, seguindo, passamos por toda a extensão da Vieira Souto, em Ipanema – continuidade da badalação do Leblon, ou vice-versa!

DSCN9972 Orla de Ipanema

E logo começo a me lembrar de como é bom caminhar pelas ruas desses bairros! Lojas, bares, restaurantes, gente bonita! Isso sem contar com o posto mais famoso do Rio de Janeiro: o ‘poxxxto 9’. Com uma vista maravilhosa, fica repleto de gente o dia inteiro, principalmente de gringos, que querem conhecer bem mais do que a combinação biscoito Globo + mate, patrimônio cultural do Rio de ‘Xaneiro’!

IMG_2318 Combinação perfeita

Depois, já com o cansaço começando a dar sinais de vida, caímos em Copacabana, princesinha do mar, que dispensa comentários, mas que, mesmo assim, vou comentar! Automaticamente, o ânimo volta com força total! Copa, copa… és a praia mais linda que tem. A orla me encanta sempre que vou lá. É como se todas fossem a primeira vez. Tanto é que precisei interromper a corrida minha e da minha irmã para registrar minha passagem por ali. Mas nada que atrapalhasse nosso desempenho!

IMG_1526 A paradinha pra foto

No trajeto, quiosques, prédios típicos de Copa grudadinhos uns aos outros, calçadão com desenho de ondas e turistas, turistas e mais turistas. De longe, avistamos o Pão de Açúcar; por entre um prédio e outro, vemos o Cristo Redentor com seus braços sempre abertos.

1 Praia de Copacabana

E continuamos… Antes de chegarmos ao Leme, pegamos a avenida Princesa Isabel, passamos pelo túnel do Rio Sul e chegamos à praia de Botafogo, de onde se pode ver, agora de perto, os morros da Urca e do Pão de Açúcar, belo cartão postal dessa cidade, que é toda, por si só, um cartão postal gigante.

Nessa altura do campeonato, a força não está mais nas pernas e, sim, na mente. Já se passaram 19 quilômetros e cinco praias. Então, força na peruca. “Run, Angel, run. Você está prestes a realizar um sonho, na cidade dos seus sonhos”, dizia a mim mesma, imaginando, ao fundo, a música Chariots of Fire!

M_CAIXA_RJ_2012-LEO-_MG_1951-18136-HIGH Quase lá!

Mais dois quilômetros de chão e belo cenário e pronto… Cheguei ao aterro do Flamengo, final da Meia Maratona e do meu running tour. A chegada é incrível e, como se não bastasse correr 21 km, ainda demos uma voltinha pelo aterro, apreciando a bela vista e curtindo um pouquinho mais os deliciosos momentos na cidade maravilhosa!

DSCN1642 Vista da praia do Flamengo

Bom, se correr não é seu forte, não tem problema! Faça o trajeto um pouquinho a cada dia caminhando, ou vá de carro, de ônibus, de metrô, de táxi. O negócio é ir. O Rio sempre nos recebe de braços abertos!

Dicas-Reveillon-Rio-de-Janeiro

Anúncios