Preparem suas casas! O Halloween vem aí!

Aqui nos Estados Unidos é assim: vem chegando uma data especial e todas as casas, ruas e comércios são decorados para comemorar! Desde o começo de outubro, as pessoas estão se superando nos preparativos para o Halloween, data que aqui é levada a sério.

IMG_0193

Como surgiu tal festa, eu contei aqui no ano passado! Agora, este ano, quero compartilhar algumas imagens de como anda a vizinhança! Cada uma mais divertida (ou seria assustadora?!?) do que a outra! Confiram nas fotos!

IMG_0194

IMG_0195

IMG_0375

Pedalinho na Bay Area

Sabe aquele domingo que o céu está tão azul que é impossível ficar em casa? Aqui tem sido assim há um bom tempo! Então, temos aproveitado o final do verão para conhecer novos lugares e fazer tividades outdoor.

IMG_9569

Uma das deliciosas opções é visitar o Lafayette Reservoir Recreation Area, uma reserva localizada na cidade de Lafayette, na Bay Area, a 30 minutos de San Francisco. Lá, uma diversidade de atividades está à disposição dos visitantes. Playground para as crianças, áreas de picnic, pescaria, trilhas para hicking e bike e, o melhor, pedalinhos e barcos a remos!

IMG_9562

Optamos pelo pedalinho e nos exercitamos (muito) por cerca de 40 minutos. A ideia inicial foi alugar pelo período mínimo de 2h e máximo de 5h! Pobres de nós, que não pedalamos nem por 1h, por cansaço puro! Os músculos das pernas já estavam pedindo para parar! É uma atividade e tanto, além de ser super divertido e com um visual lindo! Na próxima vamos no barco a remo que comrpota mais pessoas para dividir o remo!

Lafeyette Reservoir Recreation Area
3849 Mount Diablo Boulevard
Lafayette, CA
(925)284-9669

Churrasco com gostinho de Brasil

Algumas semanas atrás tive o prazer de visitar a nova churrasquaria brasileira em San Jose, cidade ao sul da baía de San Francisco. A Fogo de Chão, que já tem várias casas espalhadas pelos Estados Unidos e por outros países, agora está aqui, pertinho de mim! Quem me conhece sabe da minha paixão por churrasco! Principalmente, quando preparado por profissionais como o desta churrascaria (ou por meus cunhados, que não fica atrás)!

Esta foi a primeira vez que fui à Fogo de Chão no exterior e, como padrão, o espaço é lindo, bem decorado e com equipe super treinada a nos receber bem do começo ao fim. Mas uma das coisas que me chamou bastante atenção, foi o buffet de saladas e frios. Geralmente, as churrascarias brasileiras daqui não oferecem muita variedade no buffet e nem sempre os pratos servidos nos enchem os olhos e a boca! Mas este sim, é ótimo! Claro que ainda fica longe do buffet das Fogo de Chão brasileiras e de outras churrascarias que temos no Brasil. No entanto, temos que levar em consideração que aqui muitos estrangeiros frequentam o local e é preciso se adequar da melhor forma possível.

8731_d810a_Fogo_de_Chao_Patio_San_Jose_Architecture_Photography_pan-900x424

Como opções tem salaminho, copas, queijos variados, palmito, cogumelos, azeitonas, uns três ou quarto tipos de salada, legumes e verduras, salmão defumado, arroz, feijão preto e pão de queijo! Aqui eu até paro para contar um pouco mais! Simplesmente o melhor que já comi na vida! Tão bom que cheguei a perguntar se eles me venderiam um pacote para eu levar pra casa. Mas não aceitaram a proposta. Ele é preparado no local e a receita é segredo de estado!

Já as carnes, aplausos à parte! São mais de 16 cortes. Me contentei com poucos: cordeiro, picanha, fraldinha e alcatra! Mas todos os outros passavam ininterruptamente por nossa mesa.

O valor do rodízio pode ser considerado caro por muitos (principalmente aos finais de semana, quando cobram $ 55 por pessoa. Por mim, valeu cada centavo, pois a qualidade é indiscutível! Já a caipirinha, cuidado! O copo é minúsculo, a que faço é mais gostosa e custa $ 15.

No entanto, é uma delicia de lugar para matar saudade do nosso churrasco e depois passear pela Santana Row, a rua mais badalada da cidade, repleta de bares, restaurantes e lojas!

Fogo de Chão – San Jose
377 Santana Row #1090
San Jose, CA
(408)244-7001

Carteira de motorista sem burocracia!

Enquanto no Brasil a gente leva muito tempo e gasta rios de dinheiro para tirar carteira de motorista, uma vez que temos que cumprir carga horária de curso de legislação mais um mínimo pré-estabelecido de horas/aula de rua, aqui nos Estados Unidos o processo é rápido e barato! Quer dizer: a velocidade só depende de você!

Aqui, para maiores de 18 anos, e quem já tem carteira de outro país (meu caso) é assim: você vai ao Departamento de Veículos Automotores (DMV) e pede o livro das leis de trânsito. Ele é um pouco extenso, mas bem simples. O básico é o básico e o que muda são algumas leis. Após ler o livro e praticar simulados disponibilizados no próprio aplicativo do DMV, você marca para fazer a prova de legislação e paga o valor de U$ 33. São 46 questões de múltipla escolha e precisa-se acertar, pelo menos, 38. Ah, e ainda se tem a vantagem de, se reprovado, poder tentar mais duas vezes!

MG_4728_edit

Passando na prova escrita, imediatamente é emitida a permissão para dirigir – válida até que se passe no exame de rua – e já se pode marcar o teste de direção (mesmo tendo carteira de outro país, devemos fazê-lo). O bom é que, com a permissão, já podemos dirigir, desde que tenhamos um adulto habilitado ao nosso lado.

Marcado o exame de rua, basta ir ao DMV, acompanhado de uma pessoa habilitada (sempre!), para fazer o teste. Ele é bem rápido e fácil. Aqui, eles não têm a intenção de fazer pegadinhas e de te reprovar, para que você seja obrigado a pagar por mais aulas… O que eles querem saber é se você conhece as leis de trânsito e se não oferece nenhum risco nas ruas. Pedem o básico: mudar de faixa, dar ré, fazer conversões à esquerda e à direita, estacionar e só! E o melhor: você faz o teste em seu próprio carro e não precisa se preocupar com controle de embreagem, sendo que aqui 90% dos carros são automáticos! Na mesma hora você já sabe o resultado e pega sua carteira provisoria até a permanente, com validade de cinco anos, chegar! Bão ou não??

driving2n-1-web

P.S. Pessoas que não sabem dirigir não precisam fazer aulas de rua. Aquele adulto, que tem habilitação válida, pode te ensinar usando o próprio carro. Somente menores de 18 anos precisam cumprir algumas horas de aulas com instrutores credenciados.

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.

O fantástico aquário de Monterey

Já falei aqui sobre Carmel. E, logo ali pertinho, está a pequena cidade de Monterey, na costa pacífica da Califórnia central. A cidade é bastante antiga e grande importância para todo o estado, tendo sido capital enquanto administrado pela Nova Espanha e pelo México. Foi lá que surgiram o primeiro jornal, edifício público, teatro, biblioteca pública do estado.

DSCN2066

Ao caminhar pelo centro, em especial pela Cannery Row, uma das principais ruas da cidade, temos a impressão de estarmos no velho oeste, em meio a construções em madeira e pontes suspensas nas ruas. Uma graça!

DSCN2099

Mas, uma das principais atrações da cidade, certamente, um dos principais motivos de tantos turistas passando por lá é o Monterey Bay Aquarium. Este é um dos maiores e mais conhecidos aquários de água sagada do mundo! Para visitá-lo, reserve uma manhã inteiro, pelo menos. São mais de 35 mil plantas e animais, entre eles, polvos, moreias, sardinhas, tubarões, tartarugas, cavalos-marinhos e águas-vivas. Estas são, sem dúvida, as que mais me chamaram atenção pelas suas cores intensas e movimentos hipnotisantes. Parece mais uma viagem psicodélica do que qualquer outra coisa. Tem também pinguins fofos que ficam o tempo todo brincando e arrancando risadas dos visitantes.

DSCN2090

Não deixe de visitar a área externa do aquário, de onde se pode avistar as lindas e simpáticas lontras se divertindo em seu grande tanque. Há, inclusive, um mini cinema, onde se pode assistir ao vídeo sobre o resgate de uma lontra bebê, que se perdeu dos pais e foi resgatada pela equipe do aquário. Uma fofura sem fim.

DSCN2085

O aquário conta também com uma área interativa para as crianças e com exposições variadas sobre a vida marinha. Um passeio que não pode deixar de ser feito por crianças e por adultos. Afinal, é sempre bom voltar à infância!

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.

A praticidade no dia a dia estadunidense

Uma das coisas que me encanta nos países desenvolvidos, algumas delas eu já tinha vivenciado em Londres e, agora, nos Estados Unidos, é a praticidade em atividades do dia-a-dia. Por exemplo: aqui, raramente você verá filas em bancos. Isso é simples, primeiro, por causa de uma coisinha que temos acesso em qualquer lugar do mundo, chamada internet. Aqui (apesar de eu achar a conexão pior do que no Brasil), a maioria das pessoas paga tudo pela net.

Você deve estar pensando: ok, mas pagar contas pela net não elimina as filas em banco por si só. Na verdade, isso acontece porque, aqui, não se paga contas em banco. A não ser aqueles financiamentos feitos pelo próprio banco e as faturas dos cartões de crédito, é claro. Aqui, as contas de celular são pagas nas lojas de telefonia celular, as contas de luz são pagas na companhia de luz, seguro de saúde nas lojas próprias, TV a cabo na loja… e por aí vai! Isso é uma mão na roda e elimina aquelas filas em banco de horas e horas a fio.

Outra praticidade e a coisa mais comum do mundo é embalar a comida que sobra no prato. Sim! Isso aqui não é falta de educação, sinal de “pobreza”, breguice ou mesquinharia. Aqui, o que você paga é seu e nem você e nem ninguém tem que ter vergonha disso. Mesmo sendo o resto da comida no prato naquele restaurante super bacana. Os próprios garçons, quando percebem que você não comeu tudo, perguntam se você quer uma embalagem para levar o resto. Porque, afinal, sobrar comida no prato aqui é coisa fácil, vide o tamanho deles! Em alguns restaurantes, as embalagens ficam ao alcance dos clientes, para que eles mesmos peguem e façam sua matulinha!

Os postos de gasolina também adoro! Quem nunca viu nos filmes americanos que os próprios motoristas descem, inserem o cartão na bomba de gasolina e abastecem o carro? Isso é ótimo, porque você nao precisa esperar a “fila de frentistas” usarem a maquininha para passar o cartão e crédito ou débito. Você mesmo vai lá, abastece e faz seu pagamento. Mas, ao mesmo tempo, é um emprego a menos, não é mesmo? E também sinto falta dos nossos amigos, que ainda checam óleo, água e, se preciso, lavam o parabrisa! Aqui não temos essa facilidade.

Falando em fazer o próprio pagamento, isso também ocorre em supermercados e drogarias. O cliente tem a opção de pagar por meio de uma espécie de caixa ‘self service’. Você mesmo passa seus produtos pelo leitor de código de barras, coloca na sacola, faz o pagamento e pronto! Fácil, rápido e seguro!

Os depósitos em caixas eletrônicos também me chamaram atenção. Você simplesmente insere o dinheiro na máquina (sem envelope e sem digitar o valor a ser depositado) que a própria máquina identifica quantas notas de cada valor foram inseridas e te mostra o total do depósito. Com notas, ok, pois elas têm um código que pode ser lido pelas máquinas. Mas o mais incrível é que o mesmo acontece com depósitos de cheques! Você não precisa digitar o valor. A super máquina lê o cheque a ser depositado, independente do garrancho da pessoa que o escreveu! Eu juro que deve ficar alguêm dentro dessas máquinas contando as notas e lendo os cheques

insertingcheckshr451x500

Bom, se eu for ficar aqui enumerando as coisas práticas do dia a dia, o texto vai ficar grande e chato! Então, depois conto mais um pouquinho das curiosidades dos Estados Unidos.

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.

Fluindo com o trânsito da Califórnia

Eu adoro dirigir! Mas confesso que não tenho um pingo de paciência com engarrafamentos. Não é todo mundo que é assim, como eu! Tem gente que até curte ficar horas para chegar a seu destino e, enquanto isso, escuta música, prepara a lista dos afazeres da semana, estuda, lê livros e até faz unha! Mas eu sou da que reclama e xinga o tempo inteiro, pois, para mim, tempo é dinheiro! Eu poderia estar malhando, lendo, assistindo a um bom filme, mas não! Completo tempo perdido! Mas, voltando ao começo, adoro dirigir! E, dirigir nos Estados Unidos então: mamão com açúcar!

Aqui, qualquer lugar é pertinho (ainda mais porque sou mineira)! Mas é pertinho mesmo, pois a gente pega as freeways, onde não existem sinais de trânsito e a velocidde máxima é de 65 milhas, ou 110 km/h, e, assim, chegamos super rápido em qualquer lugar. Na esquina da minha casa mesmo tem uma freeway que me leva para o centro da minha cidade, minha escola, San Francisco, cidades vizinhas, etc… Além disso, elas não tem buracos e contam com, no mínimo, três pistas em cada direcao. A sinalização e ótima e o pessoal anda no mesmo ritmo, apesar de que, no Brasil, as pessoas dirigem bem melhor do que aqui! Também, pudera, né? Quem dirige no Brasil se sai bem até na Índia!

IMG_2301

Outra coisa boa é que as direitas são sempre livres, mesmo que o sinal esteja fechado para quem vai entrar à direita. Você pode ir sem medo, que não será multado! A não ser que tenha uma placa dizendo que não pode virar à direita no sinal vermelho, claro. Mas, uma coisa que custei para me acostumar é que, aqui, os sinais ficam do outro lado da rua. Então, no começo, eu freava lá no meio do cruzamento e tinha que acabar avançando o sinal.

Já na hora de estacionar, outra vantagem! Não precisamos gastar uma grana para comprar os talões de estacionamento (faixa-azul) e ter que usá-los para ficar por apenas 5 minutos numa loja ou na padaria. Aqui, na frente de cada vaga na rua, tem uma maquininha onde se insere as moedas de acordo com o tempo que você ficará no local. Se for coisa rápida, uma moeda de 10 cents está de bom tamanho! Caso vá demorar mais, insira mais moedas ou seu cartão de crédito, que a maquininha vai te cobrar exatamente o tempo que você ficou estacionado ali! Mas não ouse estacionar e não pagar, pois, aqui, a polícia fica de cima mesmo e o canetão corre solto!

Falando em multas, por aqui não existem radares como no Brasil, nem os fixos e nem os pardais. Sendo assim, as multas de velocidade não chegam em casa. Elas lhe são entregues pessoalmente pelos policiais que patrulham ruas e estradas 24h por dia. Eles vêm atrás de você, ligam a sirene e você é obrigado a parar. Isso acontece caso ultrapasse a velocidade máxima permitida, faça conversões proibidas, dirija embriagado ou cometa qualquer infração de trânsito perto de um policial. O que não é legal nem aqui e nem na China, né? Por isso é bom sempre andar na linha e ficar de olho no retrovisor, lógico!

Agora, o melhor de tudo são os carros automáticos. Carro de câmbio manual é raridade por aqui! Todo mundo tem carro automático, o que torna ainda mais fácil e prazeroso dirigir! E eles sempre vêm bem equipados, diferente do Brasil, onde se deve pagar uma fortuna por cada item adicional!

Então, quando vier para cá, alugue um carro (não esqueça de tirar a permissão internacional para dirigir no Detran – fácil e rápido), conheça um pouco das leis de trânsito do estado (que variam de um para o outro) e faça das suas rotas mais uma forma de conhecer a América do Norte!

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.

Fort Point escondido em San Fran

IMG_2738

Em mais uma linda manhã em San Francisco, fomos passeando pela Marina Boulevard até chegarmos ao finalzinho da Marine Drive. Lá, nos deparamos, como sempre, com pessoas caminhando, correndo, apreciando a bela vista emoldurada pela Golden Gate Bridge e reparamos, também, que lá no final, há um prédio antigo, parecendo abandonado. Por curiosidade, fomos caminhando até ele e, sem querer, descobrimos um belíssimo local a ser visitado na cidade. Talvez muitas pessoas nunca tenham ouvido falar, pois me pareceu não ter muito movimento de turistas por lá, como há nas demais atrações de San Fran.

IMG_2729

Entramos no prédio, que não cobra ingressos para a visitação, e, logo de cara, ficamos encantados com o lugar, começando pela história. Construído pelas Forças Armadas dos Estados Unidos, ele ficou pronto logo antes da Guerra Civil Americana. O objetivo, claro, era defender San Francisco de possíveis ataques de navios. É por isso que, no piso mais próximo ao nível do mar estão canhões e demais itens da artilharia que viriam a ser usados. Hoje, o forte é considerado um importante ponto histórico nacional, compondo as atrações do parque nacional Golden Gate.

Mas, o que torna o lugar ainda mais especial são os diversos ângulos pelos quais podemos ver a Golden Gate Bridge. O centro do prédio, de três andares, é descoberto e, ao olhar para cima, lá estão algumas partes da maravilhosa ponte. Andando para outro lado, podemos avistar o topo de uma de suas torres. Já do terceiro andar, ficamos, praticamente, sob ela e temos uma visão incrível da ponte como um todo. Um passeio e tanto para quem quer clicar a mais famosa atração da Califórnia!

IMG_2574 6.02.13 PM

Thanksgiving, o dia de agradecer!

Muitas pessoas já ouviram falar do Thanksgiving, celebrado nos Estados Unidos e no Canadá. No Brasil, é chamado de Dia de Ação de Graças, ou seja, o dia de agradecer pelos bons dias vividos no ano que está chegando ao fim. A data é sempre comemorada na última quinta-feira de novembro e é também conhecida como ‘Harvest’, em português, ‘colheita’, o que vem de encontro com a proposta do agradecimento, uma vez que o final de novembro – outono, no hemisfério norte – é quando já foram encerradas as colheitas. Momento, então, de agradecer pelos alimentos.

thanksgiving-362910_1280

É por isso que as mesas das casas norte americanas ficam tão fartas, sem faltar, é claro, o Turkey (peru), com seus acompanhamentos, sobremesas, bebidas e appetizers. Parece até Natal! Mas, para os americanos, é ainda mais importante. Sempre que perguntamos a eles qual é o feriado favorito, a resposta é quase unânime: Thanksgiving!

Decidi perguntar à minha querida professora de inglês qual o motivo para ele ser tão preferido assim, vencendo o nosso tão celebrado Natal. E ela me respondeu de forma simples e clara: “o Natal é celebrado por Cristãos e, nos Estados Unidos, por ser um país tão multi-cultural, com diversas religiões, o Thanksgiving acaba se tornando o favorito, pois ele não tem a ver com religião e, sim, com o agradecimento ao próximo, com a união das pessoas queridas para agradecer e celebrar o ano que está encerrando.

Então, na próxima quinta-feira (27), comemorarei o primeiro Thanksiving da minha vida. Como adoro reuniões familiares, não me resta dúvidas que se tornará especial para mim também, apesar que, de antemão, já digo que o Natal será sempre o meu favorito!

turkey-dinner-636

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.

Walnut Creek, a mais linda cidade da Bay Area!

Três meses após minha chegada, posso dizer que estou, parcialmente, ambientada. A saudade ainda aperta e me faz saber que o Brasil é, definitivamente, o meu lugar! No entanto, eu vim por livre e espontânea vontade e vou seguindo super feliz com minha nova vida, cheia de descobertas e aprendizados.

Moro em uma cidade linda, segura, limpa e com pessoas educadas. Até o nome é uma graça: Walnut Creek, traduzindo, riacho de nozes, representado, logicamente, por um riacho que percorre boa parte da cidade e por inúmeros esquilos que aqui vivem, comprovando que, por aqui, tem nozes!

Aqui os dias são lindos, sem uma nuvem no céu. Agora estamos em pleno outono, com as folhas das árvores mudando de cor, temperaturas baixando, indo dos 9 aos 18 graus Celsius, e a noite chegando mais cedo, por volta das 17h30! Uma deliciosa forma de nos prepararmos para a chegada do inverno!

Árvores vermelhas! Mais lindo outono do mundo!

Típico outono norte-americano!

Na cidade, as ruas são largas e arborizadas. O centro, minha nossa! Segura o bolso! O Broadway Plaza, shopping center daqui, é a céu aberto e traz lojas como Neyman Marcus, Apple, Coach, Sephora, Kate Espade, Victoria Secret, Bare Minerals, entre outras. Além disso, lojas como Forever 21, Macy’s, Nordstrom e Target também estão por aqui! Percebo que muita gente de cidades vizinhas vem a Walnut Creek para compras ou até mesmo para aproveitar a noite agitada e a infinidade de restaurantes. Um receptivo e tanto, não é mesmo?

Simpática pracinha no centro de Walnut Creek

Simpática pracinha no centro de Walnut Creek

Quem for visitar São Francisco, vale a pena pegar o carro e conhecer as cidades da Bay Area, lindas, aconchegantes e com diversas atrações, a começar pela Bay Bridge, a ponte que divide San Fran da região! Mapa nas mãos e divirta-se!

* Travel3 USA é uma coluna escrita para a revista Travel3, publicação de origem mineira, mas que não tem limites para viagens mundo afora. Acompanhe por aqui.